ONG Parceira do PortoWeb

A ROSA

Corrêa Neto
São Paulo - SP, 09/06/2011

Produção independente relata as dificuldades de um adolescente com deficiência auditiva

da Redação

Bullying é a temática do curta metragem amapaense, do roteirista e cineasta Domique Allan, que conta com um jovem elenco formado por estudantes de escolas públicas do Amapá.

O filme conta a história de Carlos, um adolescente que como tantos outros, quer se divertir e curtir essa etapa da vida, mas enfrenta dificuldades de se relacionar com outros jovens. Ser adolescente já é tão complicado, mas para Carlos, é um pouquinho mais, pois ele tem deficiência auditiva e convive com o preconceito por ser diferente.

Interpretado pelo ator Gabriel Lélis, 24 anos, deficiente auditivo, que já trabalha como ator mímico, ele contracena com a iniciante Yasmim Façanha de 18 anos, formada na oficina de teatro de preparação para o filme. A oficina ocorreu na paróquia Nossa Senhora Conceição, ministrada pelo diretor de elenco, Thomé Azevedo.

Junto com Yasmim, mais 50 adolescentes vão estrear na telona. “Essa é uma experiência maravilhosa, pude ser responsável por ajudar tantos talentos a darem seu primeiro passo nessa grande magia que é o cinema”, ressalta Thomé.

O cineasta Domique, que assina o roteiro, chamou a experiente produtora Ana Vidigal para transformar o filme em realidade. “Ana é uma lutadora, acredita no cinema independente e apostou no meu projeto”, diz.

Domique Allan, que é bombeiro, há algum tempo vem elaborando um projeto sobre inclusão social, o filme apesar de ser uma ficção, é inspirado em histórias reais. “Ao invés de colocar um ator qualquer para interpretar o personagem principal, eu quis ir além e colocar uma pessoa com deficiência auditiva para interpretá-lo, assim fazer realmente a inclusão”, relata.

Produção local

Para mostrar que o audivisual no Amapá tem profissionais talentosos, foi chamado o cineasta Gavin Andrews para assinar a fotografia, que já dirigiu “Alô, Alô, Amazônia”, o “O Barco e mestre”, “Ver o peso” e foi diretor de fotografia de “Simãozinho sonhador”. A direção de arte é de Cristiana Nogueira, auxiliada por Carla Antunes que também é responsável pelo continuísmo e Rodrigo Santos.

Para interagir coma equipe e a ator principal, a intérprete de LIBRAS Izabel Soares também faz parte da produção. O filme não tem patrocinadores, toda produção e elenco e parte técnica estão trabalhando porque acreditam no audiovisual do Amapá e apostam no crescimento desse mercado. “Acreditamos que no futuro breve, esses profissionais serão reconpensados, com o reconhecimento também financeiro. Está na hora do Amapá apostar nos seus profissionais, e não só nas produções que vem de fora, temos muita gente competente no Estado para trabalhar”, ressalta a produtora Ana Vidigal.

As gravações iniciaram na segunda-feira, dia 6, continuaram na terça-feira, 07, e finalizam hoje, 8, tendo como set de filmagem as instalações da boate Ibiza. As gravações começam pela tarde, as 15h e estende-se até a madrugada.

O local foi um achado da produtora Ana Vidigal, que contou com a colaboração dos empresários donos da boate que cederam o espaço para as filmagens.



A+-     A  ?
» contatos

Rua Andradas 1560, sala 611
Centro - Porto Alegre-RS
Cep 90020-002

 (51) 3414-6381 (das 14h as 18h)
 Fale Conosco



ANUNCIE

AQUI

Saiba como






















Desenvolvimento PROCEMPA